quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

HISTÓRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE JARDIM DO SERIDÓ-RN

DE POVOADO A VILA: A CRIAÇÃO DA CÂMARA MUNICIPAL NA VILLA DO JARDIM

Na década de 1850 a Povoação da Conceição do Azevedo vivenciava um período de intensas transformações, moldando um espaço coletivo com formas e conteúdos que possibilitavam aos seus habitantes lutarem pela emancipação política. Segundo Luís da Câmara Cascudo, a construção dos espaços de concentração coletiva acontece através de sucessivas etapas de ascensão envolvendo os graus de arruado, povoado e povoação, para em seguida almejar a autonomia política. Para ele, quando as casas se aglomeravam em área limitada, alinhando-se em rua, temos um ARRUADO. Depois, crescendo em volume moradio, POVOADO, com possível “feirinha”, animando a semana, sacudindo o intercambio com os arredores na sedução da convergência. POVOAÇÃO possuindo cemitério, capela (CASCUDO, 1968, p. 42).

Este modelo de ascensão se aplica em parte para a compreensão da especificidade das transformações da Conceição do Azevedo (atual Jardim do Seridó-RN), pois esta, vivenciou as etapas de arruado, povoado e povoação de forma ecelerada, contando desde 1805, quando ainda era uma fazenda, com capela. Já em 1852 passou a ser Districto de Paz, pertencendo ao município do Acari. Em 1856, a diminuta capela já era a sede da Matriz de Nossa Senhora da Conceição. O aumento no numero de fieis mobilizava o vigário da freguesia Francisco Justino Pereira de Brito, na edificação de um templo maior, concluído em 1860. Além disto, desde 1857 a Conceição do Azevedo dispunha de um cemitério.

O espaço geográfico da Conceição do Azevedo, cuja demarcação havia sido fixada pela lei de criação do Districto de Paz (1852) e ratificado pela lei de criação da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Azevedo (1856) era muito extenso e bastante populoso, existindo no “território da Nova Freguesia, com as habilitações dos demais Termos, para servirem os cargos Públicos exigidos” (ABAIXO-ASSIGNADO...). Com base neste “documento-monumento” (LE GOFF, 1994), elaborado pelos moradores da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição, criado em 1856, a Conceição do Azevedo possuía as características necessárias para a emancipação política, existindo, sobretudo, homens para assumirem os cargos exigidos com a instalação da vila e conseqüente criação do poder público.

Neste período, a transformação de uma povoação em vila, significava a implantação dos cargos públicos, representadas pelas Câmaras Municipais, cuja função era executiva (presidente) e legislativa (demais vereadores). A Conceição do Azevedo se emancipou politicamente no dia 1º de setembro de 1858, passando a se chamar Villa do Jardim. Porém, somente foi instalada em 4 de julho de 1859, quando funcionou pela primeira vez a Câmara Municipal, sobre a presidência do senhor José Barbosa Cordeiro e com a presença dos demais vereadores: Antônio Pereira da Fonseca, Estevão Severino Dantas, José Ribeiro d’Araújo, Manoel Januário de Medeiros e Pedro Teixeira de Araújo.

LUGARES ONDE FUNCIONOU A CÂMARA MUNICIAPAL

Ao longo dos 149 anos de criação da Câmara Municipal de Jardim do Seridó-RN, diversos espaços foram utilizados para o funcionamento do Poder Legislativo.

Quando da sua instalação em 1859 na Villa do Jardim, a Câmara Municipal desenvolveu seus trabalhos na sacristia da Matriz da Nossa Senhora da Conceição, único espaço público existente na localidade.

Segundo José Nilton de Azevedo, a Câmara Municipal funcionou na Igreja Matriz até fevereiro de 1880, quando foi construída a Casa de Câmara e Cadeia Pública, prédio onde na contemporaneidade é conhecido como Casa de Cultura Popular Poeta Antônio Antídio de Azevedo. A Câmara funcionava na parte superior deste edifício, em quanto que na parte inferior era ocupado pela Cadeia Pública.

Em 1937, com a reinstalação da Câmara Municipal devido ter se transformado em 1890 em Conselho de Intendência, o Legislativo Jardinense realizou suas sessões no Grupo Escolar Antônio de Azevedo, prédio inaugurado em 1928. Foram apenas alguns meses, pois com a emergência do Estado Novo a Câmara de Vereadores deixou de funcionar, retornando somente em 1948.

Em 1948 acontece novamente a instalação da Câmara de Vereadores passando a funcionar no andar superior do Palácio Pedro Isidro, sede da Prefeitura Municipal, inaugurado em 1944. A Câmara funcionou neste prédio por 39 anos, de 1948 à 1987, quando foi edificado um espaço próprio.

O atual prédio da Câmara de Vereadores de Jardim do Seridó-RN, edifício Vereadora Miquelina dos Santos Medeiros, no passado funcionava o Açougue Público, sendo demolido posteriormente. A reconstrução deste prédio com o mesmo estilo arquitetônico foi realizado na gestão do prefeito Manuel Paulino dos Santos Filho. Nos últimos anos foi realizada diversas reformas, ampliando e renovando o funcionamento do legislativo jardinense na gestão do presidente Jônatas Azevedo (2001-2002) foi adquirido um imóvel possibilitando a ampliação do prédio, realizada na presidência de Mozart dos Santos Medeiros (2003-2004).

Histórico da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Jardim do Seridó

Antônio de Azevedo Maia Júnior, o fundador de Jardim do Seridó e sua esposa Micaela Dantas Pereira, em 06 de novembro de 1790 fizeram doação de seiscentas braças de terra de sua Fazenda Conceição para o Patrimônio da Capela que desejavam construir na referida Fazenda, em honra a Nossa Senhora da Conceição. A Capela só ficou pronta em 1804. Pertencia a Paróquia de Sant`Ana de Caicó, a única existente na região do Seridó. Durante 31 anos, a capela ficou ligada a Paróquia de Sant`Ana. Em 13 de março de 1835 foi criada a Paróquia de Nossa Senhora da Guia do Acari e a Capela de Nossa Senhora da Conceição passou a pertencer a esta nova Paróquia, ficando ligada a mesma durante 21 anos até 1856, quando foi criada a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição e a Capela elevada a Igreja Matriz.

Em 04 de setembro de 1856, pela Lei 337, a Assembléia Provincial do Rio Grande do Norte, criou a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Jardim do Seridó, confirmada por Dom Frei João da Purificação Marques Perdigão, 17º Bispo de Olinda em Pernambuco. Quando foi criada a Paróquia, compreendia também as povoações de Parelhas e Equador, que foram fundadas no mesmo ano da criação desta Paróquia e as áreas onde hoje estão as cidades de Ouro Branco, antigo Espírito Santo; São José do Seridó, antiga Bonita e Santana do Seridó. Em 1920, desmembrava-se a Capela de São Sebastião de Parelhas, constituindo-se em nova Paróquia com a então Capela de Equador. A Capela de Santana do Seridó sempre esteve ligada a Parelhas. Em 1965, a Capela de São José do Seridó, passa a pertencer a Paróquia de Nossa Senhora dos Remédios de Cruzêta e em 1997, a Capela de Ouro Branco, desmembrou-se para constituir uma nova Paróquia.

O território que constituía uma só Paróquia hoje está dividido em cinco Paróquias e uma Área Pastoral Autônoma.
Trinta e dois padres já dirigiram os destinos desta Paróquia.

PADRES /ANOS DE ATUAÇÃO NA PARÓQUIA
Francisco Justino Pereira de Brito 1856-1871
José Modesto Pereira de Brito 1871
Isidoro Gomes de Souza 1871-1883
Luiz Inácio de Moura 1883-1885
José Antônio da Silva Pinto 1885-1892
João Francisco Fernandes 1892-1893
Luiz Marinho de Freitas 1893-1896 e 1897-1899
Emídio Cardoso de Souza 1896-1897 e 1899
Francisco Severiano de Figueiredo 1899
Marcelino Rogério dos Santos Freire 1899-1908
Inácio Cavalcante 1908-1914
Antônio Vicente 1914-1919
Manuel Galvão 1920
Cônego Amâncio Ramalho Cavalcanti 1921-1924; 1924-1926 e 1938
João Soares Bilro 1924
Luiz Carlos dos Guimarães Wanderley 1927 e 1928-1931
José Maria Biessinger, MSF 1927 e 1938-1940
Natanael Ergias de Medeiros 1927-1928; 1935 e 1936
Manuel da Costa 1931-1932
Ulisses Maranhão 1931-1932 e 1933-1934
Vicente de Freitas 1932-1933 e 1935-1936
Pedro Paulino Duarte 1934
Misael de Carvalho 1934
Antônio de Melo Chacon 1934-1935 e 1936-1938
Monsenhor Expedito Sobral de Medeiros 1940-1941
Monsenhor Eymard L`Eraistre Monteiro 1941-1943
Frei Francisco Solano, OFM 1944
Frei Ildefonso Rafonf, OFM 1944-1945
Monsenhor Aloísio Rocha Barreto 1945-1958
Monsenhor Ernesto da Silva Espínola 1958-2000
Monsenhor Francisco de Assis Dantas de Lucena 2000-2001
Joaquim José de Oliveira 2001 e é o atual pároco

No início esta Paróquia assim como todo o Rio Grande do Norte pertenciam a então Diocese de Olinda, em Pernambuco, até 1892, quando foi criada a então Diocese da Paraíba, passando esta Paróquia e todo o Estado a pertencer a nova Diocese. Em 1909, foi criada a então Diocese de Natal, que compreendia todo o Estado do Rio Grande do Norte e assim esta Paróquia ficou ligada a Natal, até que em 1939, quando foi criada a Diocese de Caicó. A Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Jardim do Seridó, é a terceira por antiguidade na Diocese de Caicó.

Em 1956, foi comemorado solenemente com uma vasta programação o primeiro centenário desta Paróquia quando o Vigário era o Monsenhor Aloísio Rocha Barreto. O Bispo de Caicó era Dom José Adelino Dantas, descendente de Antônio de Azevedo Maia, fundador de Jardim do Seridó. Dom Adelino comemorou o centenário em Âmbito Diocesano. Foi uma das maiores festas já celebradas em Jardim do Seridó, 50 anos depois foi comemorado os 150 anos da criação da Paróquia em 2006.

Na missa solene de ação de graças na noite de 04 de setembro de 2006, estiveram presentes as imagens dos padroeiros das Paróquias, as quais a Capela da Conceição do Azevedo pertenceu, Sant`Ana de Caicó e Nossa Senhora da Guia do Acari, e das Capelas que pertenceram a esta Paróquia: São Sebastião de Parelhas, São Sebastião de Equador, Divino Espírito Santo de Ouro Branco, São José de São José do Seridó e Sant`Ana de Santana do Seridó.

A Paróquia de Nossa Senhora da Conceição após os desmembramentos está restrita ao Município de Jardim do Seridó. Possui dez Templos Católicos: A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, o Santuário do Sagrado Coração de Jesus, a Capela de São Judas Tadeu do Abrigo Dispensário e as Capelas em construção de São José Operário no Bairro Bela Vista, a de São Vicente de Paulo no Conjunto Luzia Leopoldina a Capela Particular de Santo Antônio na residência do Mons. Ernesto e a Capela de Santa Catarina de Sena na residência das Irmãs dos Pobres de Santa Catarina de Sena, estas na Zona Urbana. Na Zona Rural, as Capelas de São João Batista no Povoado Currais Novos, a de São Leopoldo na Fazenda Pau Ferro, a de Sant`Ana no Sítio Alto Escuro.

Três Festas Religiosas principais são celebradas durante o ano: a Festa do Sagrado Coração de Jesus em setembro, a Festa da Padroeira Nossa Senhora da Conceição em dezembro e a Festa de São Sebastião e Nossa Senhora do Rosário na passagem do ano. Além das festas das Capelas.

O atual Pároco, o Padre Joaquim José de Oliveira, dinamizou a Paróquia, dividindo-a em catorze Setores missionários, sendo dez na Zona Urbana e quatro na Zona Rural. Assim a Paróquia tomou novo impulso, ficando mais dinâmica.

Uma grande graça foi a instalação de uma Casa de Freiras nesta cidade, com a chegada das Irmãs dos Pobres de Santa Catarina de Sena.

Três Sacerdotes servem a Comunidade:

Padre Joaquim José de Oliveira, Pároco;
Padre Fabiano Maurício Dantas, Vigário Paroquial;
Monsenhor Ernesto da Silva Espínola, Pároco Emérito;

Por Sebastião Arnóbio de Morais
Pesquisador da História do Seridó e Secretário Paroquial da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição

domingo, 14 de fevereiro de 2010

MANUEL PAULINO SOBRINHO FILHO, PREFEITO POR 4 VEZES DE JARDIM DO SERIDÓ


MANOEL PAULINO SOBRINHO FILHO, conhecido popularmente por "SEU MANUEL", natural de Jardim do Seridó-RN. nasceu no dia 29 de novembro de 1918 em Jardim do Seridó, filho de Manoel Paulinho dos Santos e de Luzia Leopoldina dos Santos. Governou sua terra natal em quatro mandatos, eleito nos anos de 1962, 1972, 1982 e 1992. Exercido várias atividades profissionais como agropecuarista, supermercadista, proprietário de fábrica de rações animais e empresário no ramo de veículos (Santana Veículos, em Caicó). Da união matrimonial com Olânia Caldas de Amorim Santos nasceram seus filhos, dentre eles o desembargador Cláudio dos Santos, o empresário Carlos dos Santos e a ex-diretora da LBA, Cíntia dos Santos

Manoel Paulino liderou por décadas o antigo PFL e o PL, juntamente com o casal de ex-prefeitos Edson Medeiros e Maria José de Medeiros. Na década de 70, 80 e 90 eles se revezaram no poder. Em 2000, o ex-prefeito tentou retornar a Prefeitura de Jardim do Seridó pelo PFL, mas foi derrotado pelo ex-prefeito Patrício Júnior (PDT), por 442 votos. Foi a última eleição que Manoel Paulino disputou, na época com 81 anos. Faleceu em Natal no dia 12 de fevereiro de 2010m sexta-feira e foi sepultado no Cemitério Novo Descoberta, na capital do Estado

mais

nais

mais

mais

Quem sou eu

Minha foto
Sou o subtenente PM/RN JOSÉ MARIA DAS CHAGAS, natural de Mossoró-RN, pai de quatro filhos e que tem como base principal de vida:AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS" e AMAR AO PRÓXIMO COMO AMO A MIM MESMO"; ÃLÉM DE SER HUMILDADE E ATÉ A PRESENTE DATA NUNCA ECONOMIZEI UM GOTA DE HONESTIDADE. TENHO A MANIA DE ESCREVER, ESCREVER, ESCREVER, DE LER, LER, LER; DE PESQUISAR. COM CINCO BLOGS NA REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES, CUJA META FINAL É DE CHEGAR AOS 7 BLOGS E 400 LINKS. SOU 95 POR CENTO TORCEDOR DO BARAÚNAS, O MAIS QUERIDO DE MOSSORÓ E 5 POR CENTO FLUMINENSE.